domingo, 29 de maio de 2011

direito de antena

Daqui a 7 dias estreio-me nas urnas numa verdadeira eleição. O meu entusiasmo é o mesmo que nas eleições do delegado de turma.

Sinceramente, ainda não me decidi. O que não é bom. Para não me ter decidido há duas hipóteses só assim à cabeça:

Primeira opção - estamos rodeados de pessoas muito competentes que transmitem muita confiança aos eleitores e nem sabemos em quem votar com tal abundância de salvadores do reino. Not.

Segunda coisa - os candidatos atropelam-se uns aos outros em insultos e é sempre mais do mesmo. Os favoritos vestem as cores do costume e não há verdadeira mudança. É como no Sporting e a casa estará sempre desarrumada. Sim.


Quem convive comigo sabe que já considerei menos votar no PPM. É que estou para mim que mudar o regime nem era a coisa pior que poderia acontecer ao país. Naturalmente que não vou votar nestes porque a Casa de Bragança também não me inspira muita confiança.
Oxalá o paradigma mude, isto não está bom para ninguém. Ontem presenciei, em pleno centro, o confronto dos laranjas e dos roxos (vermelhos?). Foi engraçado terem-se cruzado na minha cidade. Fez-me lembrar as hostilidades entre as claques de futebol, havia tambores, garrafas, bandeiras, estava tudo a jeito para o confronto.

P.S - aqueles anúncios de propaganda no direito de antena são mesmo pouco cativantes, é meio caminho andado para que não vote nesses.

1 comentário:

h. disse...

oh, não venhas meter nojo, há quem queira votar e não possa. xD