sábado, 16 de outubro de 2010

os paparazzi

Estive há uns dias a reflectir sobre este assunto e queria partilhar os meus pensamentos sobre isto. Para começar, o que leva uma pessoa a enveredar por esta carreira ? Vocação, necessidade, estupidez ?
Às vezes penso que estes senhores são os renegados que não conseguiram ser fotógrafos e agora tentam vender umas fotografias com celebridades a fazerem coisas menos próprias do seu 'estatuto' (isto do estatuto é muito, mas muito relativo). Não é nada dignificante esta profissão, lamento. Faz-me confusão. Um senhor com esta profissão quando lhe perguntam qual a actividade profissional que desempenha, deve dizê-lo muito baixinho para que ninguém oiça. Será que a maior parte é casado ? Será que essas mulheres têm orgulho num marido que passa muitas horas a perseguir uma mulher e que está ansioso por fotografá-la nua ? Não me parece, de todo. Ainda por cima, são poucas as fotografias que valem realmente dinheiro. Já se torna comum ver os alvos destes 'fotógrafos' com poses impróprias. Será que eles competem e têm inimigos dentro do ramo ? Do género, 'ah, aquele sacana do Lawrence Brown chegou primeiro que eu para tirar aquela foto do meu objecto obsessivo-compulsivo que dá pelo nome de _____ (preencher a gosto) a comer um gelado'.
É uma profissão dura às vezes. Dá para imaginar essas pessoas a comerem no carro enquanto perseguem a sua obsessão. Dá para imaginar a viverem no carro em frente à casa da dita cuja. Eles inventam um nome com que assinam as suas fotografias para que não sejam associados a ela e não sofram consequências (para que não lhe 'sirvam o jantar' como diria um certo senhor), como as pornstars e chamam de 'nome artístico' quando a intenção é mesmo proteger o pescoço, ou seja, estas identidades que eles assumem impedem-nos de serem reconhecidos pelo seu trabalho.
Sem reconhecimento profissional, provavelmente solteiros, quase a viver no carro, etc etc etc.
Não é dignificante, mas a crise toca a todos!

11 comentários:

Supertramp disse...

Concordo plenamente. Não é nada dignificante ter uma profissão que se baseia em andar atrás de alguém para obter uma fotografia comprometedora -.-'

Catarina disse...

Também acho essa profissão um pouco estúpida e humilhante. Contudo, talvez isso não acontecesse se a fotografia fosse uma área mais valorizada e apoiada na sociedade. Mas, as revistas cor-de-rosa continuam a ser vendidas e alguém tem de fazer o trabalho "sujo".

Anónimo disse...

Porque não publicas-te o meu comentário?

Anónimo disse...

Acho que as pessoas que fazem esse trabalho apenas o fazem porque são obrigadas a isso. Chama-se sobrevivência. Não se deve generalizar nada, pois não se sabe os motivos de cada um, o que vocês estão a fazer dizendo o que escreveram é o chamado "apedrejamento público".


Continua a escrever

luis, o tigre disse...

Eu não faço moderação de comentários, pelo menos por agora. Se tu o enviaste está publicado de certeza, Sr.Anonimo.

publicas-te é a forma pronominal de publicar. Devias querer dizer 'publicaste'. Atenção à forma como escreves

filipa disse...

Já não me sinto superior a nada Luís, a nada mesmo. Estou um ser pequenino e pronto. Estou assim.

Catarina disse...

Eu amei o livro, mas também estou super curiosa para ver o filme. Amei amei mesmo! Não sei é se já saiu em dvd :b

A música é do inicio do filme "Diário da Nossa Paixão". É de Aaron Zigman :)

http://www.youtube.com/watch?v=JgXNiHTGt_M

Gabriela Andrade disse...

Gostei bastante do teu blog!
Concordo, paparazzi é realmente uma profissão que aparenta não ter ética ou moral. É realmente triste ver que essa profissão só se prolifera...
Bjs!

Anónimo disse...

Hmmm... Usas os erros dados por mim para tirar veracidade aos meus comentários. Inteligente da tua parte :) a forma como escrevo é perfeitamente perceptível, não ando a estudar a gramática portuguesa cada vez que escrevo um comentário.

Alguém... disse...

é mesmo como dizes, em tempo de crise talvez qualquer trabalho seja aceite, ou não.
Em relação ao não ficar com o jacob no final, pois também eu não vou ficar não :P

nash disse...

engraçado, já reflecti sobre isso! e concordo contigo.